Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Febre Amarela

A Febre amarela (FA) é uma doença infecciosa febril aguda, imunoprevenível, transmitida por vetores artrópodes. O vírus da febre amarela é um arbovírus do gênero Flavivírus, da família Flaviviridae. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença.

O vírus da FA apresenta dois ciclos epidemiológicos de transmissão distintos, silvestre e urbano. Do ponto de vista etiológico, clínico, imunológico e fisiopatológico, a doença é a mesma nos dois ciclos. No ciclo silvestre da febre amarela, os primatas não humanos (macacos) são os principais hospedeiros e amplificadores do vírus, e os vetores são mosquitos com hábitos estritamente silvestres, sendo os gêneros Haemagogus e Sabethes os mais importantes na América Latina. Nesse ciclo, o homem participa como um hospedeiro acidental ao adentrar áreas de mata. No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre a partir de vetores urbanos (Aedes aegypti) infectados.

A definição de caso suspeito é um paciente com quadro febril agudo (até 7 dias), de início súbito, acompanhado de icterícia e/ou manifestações hemorrágicas, residente ou precedente de área de risco para febre amarela ou de locais com ocorrência de epizootias em primatas não humanos, não vacinado contra febre amarela ou com estado vacinal ignorado.

Arquivos anexos

Centro Estadual de Vigilância em Saúde