Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Hepatites B e C

Hepatites Virais - Prevenir é a Saída
Hepatites Virais - Prevenir é a Saída

As Hepatites B e C são inflamações no fígado causadas vírus e constituem um grave problema de saúde pública no mundo.

As hepatites B e C costumam ser silenciosas e acabam sendo descobertas quando a doença já está muito evoluída, com cirrose ou até com câncer de fígado (hepatocarcinoma).

Vias de contágio

A Hepatite B é transmitida pelo esperma e secreção vaginal (via sexual) e pelo contato com sangue (via parenteral, percutânea e vertical).

A transmissão do vírus da Hepatite C ocorre, principalmente, pelo contato com sangue (por via parenteral). Os indivíduos que receberam transfusão de sangue e/ou hemoderivados antes de 1993 devem ser testados, pois são considerados de risco para essa infecção. A partir de 1993 passou a existir a testagem para as hepatites C nos bancos de sangue, o que tornou a doação sanguínea um ato muito seguro. A transmissão sexual é pouco frequente, ocorrendo principalmente em pessoas com múltiplos parceiros e com práticas sexuais de risco (sem uso de preservativo).

Sendo assim, a transmissão das Hepatites B e C pode ocorrer pelo compartilhamento de objetos contaminados como lâminas de barbear e de depilar, escovas de dentes, alicates de unha, instrumentos para uso de drogas injetáveis (cocaína, anabolizantes e complexos vitamínicos), inaláveis (cocaína) e pipadas (crack), uso de materiais não esterilizados para colocação de piercing e para confecção de tatuagens, através de acidentes com exposição a material biológico e procedimentos cirúrgicos, odontológicos e de hemodiálise, em que não se aplicam as normas adequadas de biossegurança.

Período de transmissibilidade da Hepatite B

A transmissão da hepatite B se estende de 2 a 3 semanas antes de aparecerem os sintomas, até o término da doença. Em caso de cronificação o paciente permanece transmitindo a hepatite B.

Período de transmissibilidade da Hepatite C

A transmissão da hepatite C se estende de 1 semana antes dos sintomas até não ter mais carga viral detectável. Em caso de cronificação o paciente permanece transmitindo a hepatite C.

Hepatite B em gestante

No pré-natal deve-se realizar testagem para hepatite B no 1º trimestre e no 3º trimestre de gestação.

Para os recém nascidos de mães com hepatite B é importante receber a 1ª dose da vacina contra o vírus da hepatite B a e imunoglobulina contra a hepatite B preferencialmente nas primeiras 12 horas de vida. A amamentação é liberada.

Hepatite C em gestante

Não há recomendação pelo Ministério da Saúde  para testar hepatite C no pré-natal, porém se for possível deve-se realizar a testagem para hepatite C também. 

Não existe vacina contra o vírus da hepatite C. Amamentação ao recém nascido é liberada, porém se houver fissuras nos mamilos com sangramento, orienta-se suspender temporariamente a amamentação e ordenhar o leite até a resolução das lesões.

Sintomas

Sintomas causados por hepatites virais
Sintomas causados por hepatites virais

É muito comum que pessoas portadoras de hepatites não apresentem nenhum sintoma. Caso ocorra são os mesmos das outras hepatites: falta de apetite, náuseas, vômitos, diarreia, febre baixa, dor de cabeça, mal estar, cansaço, dores no corpo, evoluindo para icterícia (amarelão) e dor abdominal.

Centro Estadual de Vigilância em Saúde