Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Leishmaniose Visceral Humana

A Leishmaniose Visceral Humana (LVH) é uma doença endêmica em países da região tropical e subtropical. Esta antropozoonose considerada inicialmente de transmissão silvestre, com características de ambientes rurais, atualmente ocorre nas áreas periurbanas e urbanas.

É um crescente problema de saúde pública e encontra-se em franca expansão geográfica. Até o ano de 2008, as áreas de transmissão de Leishmaniose Visceral estavam em outras unidades federadas, não ocorrendo na região sul. No entanto, em 2008  houve os primeiros casos autóctones da doença em cães, em humanos e o primeiro registro do vetor no estado, passando o Rio Grande do Sul a ser área de transmissão deste agravo.

É uma doença infecciosa causada por parasitas do gênero Leishmania, transmitida ao homem por insetos flebotomíneos do gênero Lutzomya.

O cão doméstico é o principal reservatório.

Doença insidiosa, caracterizada por febre prolongada, hepatoesplenomegalia, anorexia, astenia, emagrecimento, anemia, hemorragias, edema, tosse seca, broncopneumonia, desnutrição grave.

O período de incubação no homem é bastante variável, de 10 dias a 24 meses, em média 2 a 6 meses.

Centro Estadual de Vigilância em Saúde